quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Correspondente Itália - Vicenza aí vou eu. Lar, doce lar!!!!

Então, nossa Correspondente Itália made Niterói City segue sua saga pelas terras da Vecchia Bota.....Onde literalmente tudo pode e deve acabar em PIZZA.

A viagem de Milano a Vicenza transcorreu bem. Foram aproximadamente 2 horas de trem com belas paisagens e muita emoção com todas as novidades. Só um apêndice: Nem me lembro quando foi a última vez que andei de trem no Brasil. Uma pena! Temos uma boa malha ferroviária e como seria tão prático nos deslocarmos para todos os lugares do nosso Brazilzão. Aqui o sistema ferroviário é perfeito. O trem é pontual e possui linha para todos os lugares. Mas vamos falar de Vicenza....
Bem vindo a Vicenza!!
Cheguei em Vicenza e já era noite e de lá fui para Sovizzo, meu destino final e local que resido atualmente. Para quem não sabe, a Itália é dividida em regiões. Estas regiões são divididas em províncias e cada província é dividida em comunes. Sovizzo é uma comune que pertence a Vicenza e tem aproximadamente 5000 habitantes. É um lugar muito agradável para viver, possui um belo parque para prática de esporte, muito arborizada e da minha janela tenho uma bela paisagem: as montanhas cobertas de neve. Todas as segundas feiras tem um mercato, feira para nós brasileiros, na rua próximo onde moro. Lá, você encontra de tudo: roupa, sapato, plantas, comida, etc. Super legal!
Pizza Individual Italiana
A primeira coisa que fiz quando cheguei a Sovizzo foi ir à pizzaria, estava curiosa para conhecer a autêntica pizza. 
Gente, tem pizza de todos os sabores que possam imaginar, e para comer uma inteira, tem que estar com uma “fome de cão”.  Quando a garçonete chegou com a minha, levei um susto. O tamanho individual da pizza aqui, é tamanho família para nós brasileiros. Ela é saboreada somente com o verdadeiro óleo de oliva. Nada de catchup, mostarda e maionese. É uma massa fina, leve e o recheio no ponto. Nada daquela coisa exagerada que as pizzarias brasileiras fazem. O preço varia entre 3,50 a 6,50 euros. Como sempre gostei de pizza, agora estou mais apaixonada, e se deixar, como todos os dias.
Passada a curiosidade de saborear uma pizza italiana, a ansiedade era para conhecer o centro histórico de Vicenza.
Sovizzo fica aproximadamente 15 minutos do centro de Vicenza. As comunes são muito próximas umas das outras. Vicenza está localizada na região do Vêneto, ao norte da Itália e distante 206 km de Milão, 543 km de Roma e apenas 70 km de Veneza. É uma das principais províncias da região, tendo uma forte economia, sendo considerada a capital das jóias, e anualmente é sede da feira mais importante do setor no mundo. Além das jóias, marcas conhecidas internacionalmente no mundo da moda tem sua origem em Vicenza, tais como: Diesel, Pal Zileri, Bottega Veneta e por aí vai. A cidade também abriga uma base militar norte-americana, desde 25 de outubro de 1955 e é uma das sete bases dos Estados Unidos na Itália. Além disso, é considerada Patrimônio Mundial da humanidade, título concedido pela UNESCO. Já deu para perceber como Vicenza é grandiosa em todos os sentidos. É maravilhosaaaa! No centro histórico, você encontra construções renascentistas, especialmente projetadas por Palladio, célebre arquiteto do século 16 e responsável por muitas obras-primas arquitetônicas que podem ser admiradas na cidade. Por causa disso, a cidade pode ser designada também como a cidade do Palladio, apesar do mesmo ter nascido em Padova.
Teatro Olímpico
A rua principal da cidade é Corso Palladio, uma avenida que atravessa a cidade onde estão os palácios mais notáveis, com seus pórticos e pátios internos. 
O teatro olímpico foi construído no século 16, todo em madeira, e foi a última obra de Palladio, sendo o primeiro teatro coberto do mundo. A Piazza dei Signori é o centro da cidade, caracterizada pela suntuosa Basílica Palladiana e também tem a presença da alta torre de 1300 e da loggia Del Capitanio, esta última, uma obra incompleta de Palladio. Você pode subir até o terraço da Basílica e ter uma vista estupenda de Vicenza, e se tiver sorte, avistar um lindo entardecer. Além da exuberante arquitetura desenhada por Palladio, no centro histórico, em seus prédios seculares e cheios de charme, tem lojas de roupas, cosméticos, cafés e gelaterias. Um bom programa é sentar em um dos cafés ou gelateria, degustar um delicioso cappuccino ou comer um delicioso gelato e admirar a beleza do lugar. Vc vai se enriquecer culturalmente e gastar muito pouco. Um cappuccino com brioche custa em média 2,50 euros e o gelato em torno de 2,00 euros.
Sempre tem diferentes eventos que acontecem no centro. Todos os anos, em outubro, tem a feira de chocolate na Piazza dei Signori . Tem chocolate de tudo quanto é tipo, gosto e formato e são deliciosos. Eu que não sou fã, comi vários! Em dezembro tem o Mercatino di Natale, uma feira que vende artigos para o natal e comidas típicas italianas.
Feira de Chocolate na Piazza Dei Signori
Não podem deixar de experimentar os doces sicilianos: uma delíciaaaaa! Uma pessoa como eu, que não gosta de doce, dizendo isso, é porque é delicioso mesmo. No mercatino, além de comidas, vc encontra muitos artistas de ruas, defendendo seu pão de cada dia. Tudo muito divertido.
Ao redor de Vicenza, você também pode visitar cidades que não estão em nenhum roteiro turístico, são lindas e exalam história. Existem inúmeras, mas vou citar algumas nas quais estive e que fiquei encantada, tais como: Maróstica, Bassano Del Grappa, CastelFranco e Peschiera Del garda.  
Maróstica é uma cidade medieval, pequenina e muito aconchegante. Há algum tempo era conhecida por sua produção de cereja mas atualmente é famosa pelo jogo de xadrez vivo, onde as pessoas se trajam de roupas medievais, e o jogo acontece em todos os anos pares na Piazza Castello e invoca uma antiga tradição que remonta à 1454. Além da arquitetura exuberante, a cidade é toda circundada por muralhas. É muito lindo!
Bassano Del Grappa é famosa pela sua ponte de madeira, imortalizada pela célebre canção dos alpinos e pela antiga produção de grappa das destilarias Nardini. Foi uma importante cidade durante a I e II guerras mundial. Durante a I guerra, os alpinos, importantes combatentes na época, impediram o avanço do império Austro-Húngaro na península itálica e na II guerra serviu como apoio na invasão da França. O nome da cidade é oriundo da famosa produção de grappa, pois a cidade é conhecida por produzir uma grappa especial. Existe um museu na cidade que conta a história das destilarias. Além da grappa, a região também é famosa pelos seus aspargos brancos.
Muralhas de CastelFranco
Castelfranco é uma cidade medieval cercada por muralhas e que nos leva uma viagem a idade média. Possui uma enorme muralha que circunda toda a cidade e uma arquitetura exuberante.
Peschiera del Garda, possui um lindo e enorme lago, conhecido como lago de garda e que banha várias cidades da região. É uma pequena cidade, agradável e como todas as cidades italianas tem uma exuberante arquitetura.
Para chegar a Castelfranco, Bassano del Grappa e Peschiera del Garda, a partir de Vicenza, vc pega um trem na estação e o preço do bilhete é em torno de 5,60 euros. Vc pode comprar e achar valores no site da Trenitalia www.trenitalia.com.  Para Maróstica não tem transporte público direto.  A melhor forma de ir para lá, é de carro ou pegar um trem até Bassano del Garda. Recomendo muito a conhecerem esses lugares. É um passeio econômico e encantador. É perfeitoooo!!!!!
Vicenza exala história em seu coração e ao seu redor. Difícil é achar um lugar que não seja lindo e que não exala história na Itália, não é mesmo??!! 
Mesmo conhecendo tudo, a cada vez que vou ao centro histórico, fico encantada com tanta beleza e arte num só lugar. Para quem quer saber um pouco mais sobre este belíssimo lugar, podem acessar o site www.comune.vicenza.it

Depois de Vicenza, nos vemos em Veneza!!!!!! Uhuuuuuuuu!!!!! 

Monumento na Piazza Dei Signori 
divulgação do jogo de xadrez vivo em Maróstica
Feira de Chocolate
Vista da Praça dei Signori 
Peschiera del Garda
Basílica Palladiana


Então, como diz a Fernanda Pavani... Veneza é a próxima parada...

E você viajante.. tem alguma historia para contar??


quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Correspondente Itália - il principio della Storia

A serie Correspondente volta ao Exterior.. agora indo para o velho mundo de carona com a Fernanda Pavani, nascida em Niterói-RJ, criada em Juiz de Fora-MG e cidadã do mundo. Atualmente vive em Vicenza – Itália, de onde teremos não somente as preciosas dicas que todo viajante precisa, mas também a companhia da Fernanda por aqui.
Bem vinda Fernanda...  com certeza muitas historias virão....


Olá meu povo!!!! Buongiorno ou Bom diaaa!!! Recebi o convite do Andando de Mochila (Luciano) responsável por este blog para contar um pouco da minha saga aqui na Itália e dar dicas, sugestões e falar um pouco como é viver aqui. Claro que aceitei na hora!!!!! Adoro compartilhar meus momentos e a quem pretende conhecer a Itália, quero contribuir com dicas valiosas para aproveitarem ao máximo a estadia aqui.
Tudo começou em11 de setembro de 2013, primeiro dia que pisei em solo italiano. Já fiquei encantada com tudo que via pela janela do avião. Peguei um voo direto São Paulo X Milão, a viagem foi um pouco cansativa, afinal, são 12 horas de voo, mas foi uma viagem super tranquila, só não conseguia conter minha ansiedade de pisar nesta terra maravilhosa. No aeroporto tudo transcorreu bem e não houve nenhum contratempo com a imigração ou com a minha mala. Graça a Deus!!!! Escuto tantas histórias por aí de malas extraviadas, roubo, etc... mas vamos ao que interessa....
Cheguei à Itália pelo aeroporto de Malpensa. Quando pisei em solo italiano, pedi para minha amiga que veio comigo que me beliscasse para saber se era verdade. Rsrsrsrs ERA VERDADE!!!!! Tudo muito lindo e belo o aeroporto. Pessoas de todas raças, credo, costumes.... Eita globalização. Amo muito tudo isso!

O aeroporto fica um pouco distante do centro de Milano e para se deslocar até a Estação Central de Milano, meu destino final para pegar meu trem, peguei o ônibus que sai da porta do terminal de desembarque e deixa na Estação Central de Milano, parada final dele. O ônibus a cada 20 minutos e o bilhete custa 10 euros. É a forma mais econômica e rápida, para ir ao centro. Você pode ter mais informações neste site www.malpensashuttle.it O deslocamento entre o aeroporto e a Estação Central dura cerca de uma hora. Tudo vai depender do trânsito. Meu destino, na verdade, não era Milano e sim Vicenza. Desci na estação Central para pegar meu trem. A estação é lindaaaa. Fiquei encantada!!!! Ah,, não posso esquecer de contar. Já tinha comprado meu bilhete do trem no Brasil mas como houve um atraso na liberação da imigração e o aeroporto fica um pouco distante do centro, perdi o trem, LITERALMENTE! hahaha .
Lá se foram 14 euros jogados fora. Aff!!!! Uma dica: não compre bilhete antecipado, só se você achar uma promoção que valha a pena. Pode acontecer algum contratempo e acontecer o q aconteceu comigo.


A estação é super movimentada e tem gente de tudo quanto é lugar. É a principal estação de Milano, segunda estação em tamanho e tráfego na Itália. De lá, partem trens para várias cidades da Itália e para outros países também. A arquitetura é maravilhosa, imponente e está situada no coração de Milano. Lá, não é apenas uma estação mas também um shopping onde vc encontra todos tipos de loja. Como perdi o trem para Vicenza, fiquei por lá durante uma hora, apreciando sua beleza. Sorte!!!! Como perdi o trem e o bilhete que tinha comprado, tive que comprar um novo. Foi uma aventuraaaa. Não conhecia o sistema e muito menos italiano. Aprendi no “tapa”! É muito fácil comprar bilhete para os trens aqui. Nem todas estações aqui, tem guichê com uma pessoa vendendo bilhete. O meio mais utilizado para comprar o bilhete, é através das máquinas de autoatendimento. A Trenitalia é a principal empresa que gerencia a linha ferroviária do país. Em todas as estações existem máquinas de autoatendimento da Trenitalia, onde você compra seu bilhete. As máquinas aceitam cartão de débito (nem todas), dinheiro e moedas e existe a opção de língua para o cliente. Caso queira comprar antecipadamente, é só acessar o site www.trenitalia.com e lá você encontra todos os destinos nacionais, internacionais e compra seu bilhete. UMA DICA SUPER VALIOSA: antes de entrar no trem, é necessário validar seu bilhete, seja qualquer trem que você vai viajar, nacional, regional ou internacional. Você mesmo faz esta validação, nas máquinas espalhadas pelas estações.  Se vc não validar o bilhete e o controlador do trem, pessoa responsável em verificar o bilhete dentro do trem, pegar, você paga uma multa de 200 euros. É isso mesmo, 200 euros!!!! No início você fica confuso, mas depois se familiariza com o sistema. É tudo muito fácil e prático! Eu não sabia disso e quase me dei mal. Eu só validei o meu, porque vi um monte de gente fazendo e fui verificar o que era e descobri. hahahahaha

Passados minha 1 hora na Estação de Milano de aprendizado, consegui finalmente pegar meu trem rumo a Vicenza. Iupiiii! Vicenza, minha nova terra!!!!!! 
Fernanda Pavani em Roma.. mostrando que novos caminhos vem pela frente

E você viajante.. tem alguma historia para contar??

domingo, 1 de dezembro de 2013

Correspondente Ilha Grande - Um lugar Mágico

  •    

  •       Seguindo nossa serie Correspondentes, apresentamos Isis Faria, 25 anos, uma Carioca da gema, apaixonada pelo mar e uma Aprendiz de Mochileira que eu diria estar com o aprendizado em dia....
  •     Uma pequena historia de Ilha Grande/Angra dos Reis/RJ


  • A Ilha Grande, faz parte de um arquipélago de 187 ilhas e ilhotas, localizada na Baia da Ilha Grande, costa oeste do Estado do Rio de Janeiro, região também conhecida como Costa Verde. A região é um dos locais mais bonitos do Oceano Atlântico. com sede na Vila do Abraão, a Ilha Grande fica de frente também para os municípios de Mangaratiba e Paraty. O mar predominante verde, abriga valiosa e biodiversidade e belos cenários.
    Ilha Grande
    A vila conta, também, com ampla oferta de pousadas, campings, bares, restaurantes e comércio para turistas. Além desta, existem algumas outras pequenas comunidades espalhadas pela ilha também dotadas de infraestrutura turística. A ilha oferece, atualmente, muitas alternativas turísticas: passeios de barco, praias com águas calmas para mergulho em família, praias destinadas à prática de esportes como o surfe e o mountain-bike, trilhas ecológicas por dentro da mata ao centro da ilha, além de algumas atrações históricas.

    Em 1994, o presídio, que era fonte de insegurança para a população local devido às fugas de presos, foi demolido pelo governo fluminense. Após sua implosão, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro obteve o direito de cessão da área e das benfeitorias que pertenciam ao presídio, inaugurando, no ano de 1998, o Centro de Estudos Ambientais e Desenvolvimento Sustentável.

    ONDE FICAR?

    Eu indico esse luga porque eu fiquei hospedada por lá e gostei muito, é o che largato, fica no final da praia de abrão, esse hostel, e um dos mais animados porque sempre tem festas, musica ao vivo, dia de segunda-feria, não há nada na Ilha e para minha sorte, o hostel era o único lugar que tinha festa, eu estava em casa. 

    Endereço: 
    Localização: localizado na Rua Canto da Praia, S/N, Ilha Grande – Rio de Janeiro.
    Minha amiga ficou no El misti hostel, eu particularmente preferi o Che largato. embora seja com o clima parecido, um galera jovem tb.
    Endereço : Rua Alice Kury da silva 8
    Abraão, Ilha grande,Também tem o Gree Hostel que  fica na rua Getulio Vargas517, Reservas 21 999499331

    O QUE FAZER... COISAS DE TURISTA 

    Passeio para as Ilhas de Angra que é composta por Ilha Cataguases, Lagoa Azul, Botinas , Gipóia e Itanhangá.
    Conhecer as praias de Lopes mendes, Aventureiro e Santo Antonio.

    Passeios de Escuna

    ONDE COMER?

    Dom, é um restaurante carinho, mais é ótimo, super sofisticado.
    O Biargarten e um restaurante a quilo muito legal também.
    E o Lonnier e o 7 mares, e bem na beira da praia, logo perto do porto, recomendo comer a Moqueca de lá é perfeita, muito boa a comida,também não é um restaurante muito em conta não, mais há vários restaurante opções para cada bolso não faltará.

    O QUE LEVAR?

    Tudo para curti uma ótima praia, e para quem curti umas ótimas trilhas, um par de tennis.

    Trilha da praia dos dois rios
    Ilha de Cataguases
    praia dos dois rios
    Aventureiro - foto internet
    Praia de Lopes Mendes
     OBS: A trilha dos Dois Irmãos... lá esta o presidio somente é possível chegar caminhando, e só vá se realmente tiver disposição, porque é uma trilha muito cansativa e cheia de surpresas.

  • Che lagarto
  • Tenho que falar também  da praia e Cachoeira da Feiticeira, aonde é possível fazer Rapel, também só se chega de trilha, que na minha opinião é de nível médio, e vale muito apena, muito bem sinalizada. A praia a pouco visitantes, é ótima,lindíssima, principalmente para namorar...rsrs

  • rapel
    Cachoeira da Feiticeira
  • COMO SE LOCOMOVER? 

    Não há carro na Ilha o único meio de chegar lá e ir para outros lugares e de Barco, e para circular dentro da ilha somente de Bicicleta. que pode ser alugar por lá por R$ 40,00 o dia todo.

  • COMO CHEGAR: 

  • Confira no site www.ilhagrande.org

  • Os barcos e embarcações para a Vila do Abraão. As Barcas S.A, saveiros e o catamarã partem do continente saindo das cidades de Mangaratiba, Angra dos Reis ou Conceição de Jacareí em vários horários diariamente. Confira! 


    ANGRA DOS REIS

    Saídas de Angra dos Reis Saídas da Vila do Abraão 
    - - 07h30 Saveiro 
    08h Catamarã 09h Catamarã 
    09h Saveiro 10h Barca 
    11h Catamarã 12h30 Catamarã 
    13h30 Saveiro - - 
    13h30 Barca (Sáb/Dom/Feriados) - - 
    14h30 Saveiro - - 
    15h30 Barca (Seg a Sexta) 17h Catamarã 
    16h Catamarã 18h Saveiro 
    Estacionamentos em Angra dos Reis. Clique aqui e saiba onde deixar seu carro com segurança. 

    CONCEIÇÃO JACAREÍ

    Saídas de Conceição Saídas da Vila do Abraão 
    09h Saveiro 07h30 Saveiro 
    10h30 Saveiro 09h Saveiro 
    11h30 Saveiro 10h Saveiro 
    14h Saveiro 12h30 Saveiro 
    15h Saveiro 13h Saveiro 
    17h Saveiro 15h Saveiro 
    21h Saveiro extra (Sextas-feiras) - - 
    Estacionamentos em Conceição de Jacareí. Clique aqui e saiba onde deixar seu carro. 

    MANGARATIBA

    Saídas de Mangaratiba Saídas da Vila do Abraão 
    08h Barca 08h30 Saveiro 
    14h Saveiro (Segunda a Sexta) 17h30 Barca
    22h Barca extra (Sextas-feiras)
  • 18h15 Saveiro 17h Saveiro 


  • Melhores  historias  (aqui você coloca suas Historias, mande para a gente seus relatos)


quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Mens sana in corpore sano

Com certeza para viajar e ter um bom proveito de um sonho realizado , temos que ter uma mente sã , nada mais justo que sair  e ter a cabeça no lugar , saber o que queremos e irmos atrás de nossos sonhos.
Muitos que vão viajar também tem como intuito "arrumar" a mente, tomar novos ares e dessa maneira refrescar a cabeça, o que é muito proveitoso.
Mas e o corpo.. falo por mim, muitas vezes em detrimento do trabalho, da Preguiça, do dia a dia na cidade e da mais pura falta de vontade ou de olhar, a gente vai deixando o corpo pra lá.. tá certo que nem todos, mas uma grande parcela.

Seja mochileiro, aventureiro, turista, turista aventureiro, turista mochileiro, mochileiro Turista... como queiram chamar, todos deixamos de nos cuidar por uma unica razão, desleixo.
Sei que comigo foi assim, vamos sempre deixando para depois o que podemos fazer agora e as desculpas são muitas:


  • To sem tempo!!
  • Não tenho dinheiro!!
  • Tenho coisas mais importantes para fazer!!
  • Cheio de contas para pagar, acha que vou ter tempo de ficar fazendo exercícios!!
  • Nunca me senti mal, sou feliz assim!!
  • Sou feliz viajando e não fazendo exercícios!!
  • Ve se tenho cara de quem quer ficar marombado!!
Quando digo que tem que estar em forma, em nenhum momento falei que tem que estar Magrinho.. Bombado.. ou cheio de saúde...

E por ai vai.. cada um com suas desculpas, mas quando vejo pessoas "fora de forma" viajando e quando eu viajo, sei que passo trabalho.
Quem nunca ficou assado quando caminhou muito?
Quem nunca fez uma caminhada e ficou com o pé em prantos?
Quem nuca deixou de subir em um lugar porque estava sem preparo?
Quem nunca deixou de ir em tal lugar porque parecia ser muito "difícil"?

Sei que muitos vão dizer que ... EU NUNCA FALEI ISSO!!.. eu Também nunca falei, até agora, mas que muitas dessas coisas já passei trabalho.. haaa isso já passei.

Mas tem sim, que se preparar, no meu caso... VOU fazer o Caminho de Santiago e sei que como estou hoje, não faço nem os primeiros 10 km.., preciso me preparar, preciso me alimentar melhor, preciso ajudar a mente a respirar.

Sei que não vou comer só alface.. mais não vou mesmo, nem mesmo vou deixar de beber  fim de semana, deixar de comer chocolate, deixar de comer, adoro e não paro mesmo.

Mas essa semana comecei uma academia, que podia ser uma caminhada na Praia que esta ali, mas achei que assim iria dar uma acelerada, tenho 2 anos e 7 meses pela frente, vou com calma e aceito sugestões.

O que mais me deixa apavorado é que antes fazia trilhas, as quais estou querendo retomar e aceito convites, andar de bike já fiz muito, mas depois de ser atropelado e ter outros acidentes , fiquei meio parado e quem sabe retomo mais adiante, então...

Não espere que os outros digam o que temos que fazer.. vamos nos mesmos tomar as rédeas de nossa vida e mostrar quem manda..

Eu já comecei.



  


sábado, 2 de novembro de 2013

Correspondente Colômbia

Continuando a serie CORRESPONDENTE, vamos sair um pouco do Brasil.. rumo a Colômbia .

Manuel González - Colombia Exchance  - Nascido em  Bogotá, criado em villavicencio , namora uma Francesa, com viagem marcada para o Brasil, de Manaus ao Rio de Janeiro... tem como objetivo fomentar viagens de mochila pela Colômbia.
Um bonito passeio pela  linda Colômbia rumo ao CARIBE, é isso que essa nos esperando em seu relato, o qual vamos deixar em Espanhol, para manter a originalidade.

Vale lembrar que 5.000 COP equivalem a cerca de US$ 2,63

Bogota – Medellin – Turbo – Trigana – Acandi – Capurgana – Sapzurro

Bogotá - fotografia de chung peng
El recorrido largo por cierto empieza en Bogotá, me dirijo al terminal de buses de donde parto hacia Medellín, un viaje de 9 horas que en realidad siento poco pues la mayoría del viaje me la pase observando a mi compañera de puesto que parecía la bella durmiente y no por lo bella sino por lo durmiente, de las 9 horas solo la vi 2 veces despierta la primera en Honda cuando nos detuvimos a comer algo en un estadero a la orilla del camino, entiéndase por “estadero” los restaurantes que se encuentran en todos los viajes por carretera a un lado de esta y la segunda cuando ya llegando al terminal de Medellín tomo su manta la guardo en su bolso y la cambio por todo un kit de maquillaje el cual en un par de minutos la dejo como si no hubiera pasado ni un solo minuto dentro de ese bus, hasta aquí explico, no fue voyerismo tan solo estaba sorprendido de su capacidad para dormir en una posición nada cómoda y durante tantas horas, bien, finalizada la historia de esta compañera de puesto que desapareció tan rápido como durmió, me dedico a buscar el pasaje para mi próximo destino, Turbo, hasta el momento el pasaje de Bogotá a Medellín me costó $55.000 COP pues logre negociarlo un poco, el pasaje Hasta turbo tiene un costo promedio de $45.000 a $70.000 COP dependiendo la temporada una vez con el pasaje el cual tome calculando la llegada a Turbo al amanecer, tipo 6AM para evitar quedarme allá pues las lanchas solo salen en la mañana hasta casi las 10AM con destino a Capurgana me dedique a pasar el tiempo y esperar que saliera mi bus.


Llegada la noche el bus emprende su viaje con destino a Turbo, aproximadamente 10 horas por problemas en la carretera así que toca armarse de paciencia, después de una noche en el bus llegamos justo a la madrugada con tiempo suficiente para comprar el tiquete de la lancha y algo de comer, el lugar un poco sucio y abarrotado de gente que se te lanza encima ofreciéndote los tiquetes pero lo mejor acá es acercarse directamente al muelle de “waffe” donde hablando con el piloto de la lancha puedes negociar el precio del tiquete, la comida promedio son $7.000 COP y el tiquete de la lancha $55.000 COP (hasta Capurgana), en temporada baja solo salen hasta las 8AM y el viaje dura poco más de 3 horas, si llevas sobrepeso es decir más de 10 kilos en tu equipaje el costo por cada kilo de mas es entre $600 y $800 COP recomendación, estar muy atentos cuando les pesen la maleta o les pueden cobrar mucho más, no dejen por nada del mundo que los pongan delante de la lancha pues con el golpe de las olas durante el viaje tendrán un lindo dolor de nalgas y espalda por un par de días, experiencia propia, aunque a mí solo me dolió la espalda pues como buen Rolo (Bogotano) eso de tener nalgas no es lo mío, supongo que el medico al nacer  y después de la “palmadita” que daban en mi época a los recién nacidos, acabo con ellas en un segundo.
Manuel González e Sophie Gerard
Rumbo a Capurgana están Trigana y Acandi, algunas veces la lancha durante el recorrido se detiene en estos sitios ya sea para dejar alguna compra o pasajero, Trigana es un lugar espectacular, acá aparte de playas hermosas quizá las más hermosas de la zona podrás observar los monos aulladores y un caserío de pescadores que los nativos le llaman San Pacho y cuyo nombre real es San Francisco, pueden hospedarse en este sitio los que quieran, pueden en carpa u hostal y los precios van desde $7000 COP por carpa hasta $30.000 COP en hostal y existe una empresa de turismo que les ofrece actividades como Kayak, Snorkel, Caminatas y hasta tattoo en jagua, el costo de la lancha hasta este punto es de $35.000 COP.

Tartarugas Canaa em Acandi
Acandi es un poco más arriba y en estas playas de cerca de 12 kilómetros es a donde llegan las tortugas canaa a desovar entre los meses de Febrero y Julio en la playa llamada playona situada a 20 minutos en lancha de acandi, espero que quien viaje pueda verlas pues según me dijeron son tortugas que pueden llegar a medir hasta 2 metros, siguiendo el recorrido por fin llegamos a Capurgana paraíso turístico de esta zona del Darién, lo primero es buscar el sitio para quedarse y lo encontraran en LA POSADA DEL GECKO donde Alberto Delso un italiano buena gente cuya hospitalidad los hará sentir como en casa y por supuesto a los miembros de COLOMBIA EXCHANGE Alberto les hará un descuento del15% al 25% dependiendo la temporada en todo, Relájense, camine por la playa y hablen con la gente que es muy amable, acá pueden preguntar lo que quieran que ellos los guiaran a su destino, no pueden dejar de visitar la reserva natural el cielo con su hermosa cascada en una caminata por entre la selva, hacer una cabalgata, visitar a los indígenas kuna, bucear en los mejores paisajes marinos que puedan imaginar o simplemente disfrutar de sus playas tranquilas libres de vendedores ambulantes.
Capurgana
Después de un buen descanso en una hamaca con vista al mar, se pueden dirigir a Sapzurro frontera con panamá, se puede de dos formas, una por lancha en cuyo caso tendrán que pagar $7.000 COP, la otra es caminando por un sendero entre la selva, recomendación si van a hacer esta caminata, equipaje ligero pues es un poco largo el trayecto, una vez lleguen a Sapzurro pueden buscar

 SAPZURRO LA POSADA HOSTAL & CAMPING en donde Mario Muñoz, quien los atenderá y les brindara toda su hospitalidad, los precios del sitio son muy cómodos y van desde $10.000 hasta $30.000 COP en camping o dormitorio, las habitaciones privadas tienen un costo superior y a los miembros de COLOMBIA EXCHANGE les ofrecen un 10% de descuento.


Capurgana
Ya instalados es hora de visitar alguna de las playas que ofrece este magnífico lugar cerca encontraran la Miel y Cabo Tiburón, la playa la miel es la más famosa y se encuentra en territorio Panameño para llegar simplemente se pregunta ya sea a algún habitante del sector o a un amable soldado, lo único que tienen que hacer es mostrar su documento para poder ingresar, la caminata es suave y no tarda más de 30 minutos eso si toca subir y bajar escaleras cerca de unas 100 o más en subida y otras tantas bajando, Cabo Tiburón separa a Colombia de Panamá, y para llegar allí simplemente deben tomar el camino conocido como la cangrejera o preguntar por él, ambas playas alejadas del ruido, con una calma sorprendente, tienen que practicar snorkel en las dos pues el paisaje marino y su corales son una maravilla que no querrán perderse, tienen que llevar los implementos para practicarlo y una vez más, disfruten si llevan basura regrésenla y regresen la que encuentren que en realidad es muy poca y no se olviden de probar un buen pargo rojo.
Capurgana
Camping Sapzurro

Posada del Gecko - Capurgana


terça-feira, 22 de outubro de 2013

Economia para viajar


Economizar

A grande maioria das pessoas acredita que ganhar dinheiro é difícil, realmente é muito difícil hoje em dia, mas sempre podemos economizar "algum" para uma viagem.
Devemos sempre pensar que uma economia nos ajudara a ficar mais dias em algum lugar, poderá abrir as portas de um hostel legal, pode pagar aquela passagem que a gente sempre quis comprar, nos levar a lugares legais.. essas coisas.
Logico que em nossas contas, não vou cortar alguns itens básicos (o básico de cada pessoa pode varias de acordo com suas necessidades), mas acredito que sempre podemos "cortar" alguns itens.
No meu caso eu já comecei, parei de fumar e isso vai me gerar uma grande economia, mas essa economia somente será possível, se o dinheiro que eu economizar parando de fumar seja destinado a uma conta especifica na qual eu tenha dificuldades de usar, só para garantir.
Mês = 30 dias = 20 Carteiras x R$ 10,00 = R$ 200,00 x 12 meses = R$ 2.400,00
Isso mesmo, estava queimando R$ 2.400,00 por ano com cigarro.. tá podem dizer, eu sei que mereço escutar isso.. Mas agora vou economizar isso, levando em conta que faltam aproximadamente 3 anos  para nossa tão pensada viagem, vamos ter uma economia de R$ 7.200,00... já é um bom começo né?
Tem gente que corta mais a fundo, sem telefone, sem carro, sem internet, sem TV a cabo, etc..., mas no meu caso isso tem que ser mais pensado.
Mas e ai, onde mais poderemos economizar?  No meu caso, o Almoço do dia a dia no trabalho pode ser algo mais econômico,  almoçando no meu trabalho, pago cerca de R$ 14,00 em media, já saindo e almoçando próximo pago uma media de R$ 9,00, economia de R$ 5,00 por dia X 22 dias em media mês, temos ai uma economia de R$ 110,00/Mês.
Pense você onde pode economizar, sempre acharemos onde.
Não se pode desistir
Mas ai vem a pergunta, vou me privar de tudo que eu gosto? 
Não é necessário se privar do que gosta, temos que diminuir os gastos e não virar o Tio Patinhas.

Sonha em fazer uma viagem? Economize, faça um cofre, de preferencia um que você não consiga ver dentro, porque um dia ele pode ser tentador.
Tente colocar umas notas junto com as moedas, a diferença no final é muito grande.

Não esqueça de ficar esperto com a desvalorização, para tanto, no meu caso, eu faço o seguinte:
1. Junto o dinheiro em um cofre, quando ele estiver cheio, o que dependendo do tamanho é algo razoavelmente rápido , abro ele, e troco o dinheiro por dólares, que vão ser guardados em um cofre especifico.
2.  O dinheiro do cigarro que eu economizo, coloco em uma conta de banco que não costumo usar, espero conseguir somente nessa conta  mais de R$ 8.000,00 nesses meus 3 anos de preparação para a viagem que vou fazer a Europa.
3. Nessa mesma conta pode fazer alguns outros depósitos, o que só vai aumentar o valor final.
4. Estou tentando economizar em outras coisas também, o que pode me fazer sobrar dinheiro no fim do mês , esse pretendo transformar em dólares.
Mas então, não tem mais a cervejinha fim de semana, a reunião na casa dos amigos, o churrasco nos Domingos?
Alguns desses gastos  podem ser cortados, logico... mas se houver a diminuição já faz muita diferença.
Outra opção é ser mais contido nos gastos de vestimenta, as vezes a gente compra roupas, sapatos e tênis caros, e se pensarmos bem, essa pode ser uma ótima economia no final do ano.
Logico que no meu caso falo sobre minha viagem a Europa, mas a economia pode ser para uma viagem menor, até mesmo de fim de semana.. 
Ta esperando o que para começar.. pensa no destino e começa a poupar, nunca vamos nos arrepender. 

domingo, 20 de outubro de 2013

Correspondente Rio de Janeiro

Para começar a serie CORRESPONDENTE, nada poderia ser melhor... Historias do Rio sendo contadas por uma Paulista de Curitiba....  SHOW

Fabiana Fontana

Correspondente Paulista, vivendo em Curitiba... Falando do Rio de Janeiro 


"Eu escolhi o Rio de Janeiro como local da minha comemoração pelo meu aniversário, queria fazer algo diferente e especial e após conversar um pouco sobre a cidade com uma colega que trabalha na filial da empresa que fica no Rio de Janeiro me decidi e comprei as passagens.
Realizei a compra das passagens em maio, então o preço ficou bem legal, ida e volta não chegaram a R$300,00 pela Gol, fora que está super fácil mudar o horário de embarque no check in, eu mudei tanto meu horário de ida quanto de volta nos dias de embarque.
Tive apenas 2 dias e meio no Rio de Janeiro, a sexta (27/09) que a gerente gentilmente me deu, sábado e domingo, ou seja, poucos dias, portanto tive que escolher os locais que mais me interessavam, ou melhor, o que eu gostaria de conhecer primeiro, pois muita coisa no Rio de Janeiro me interessa e desejo voltar para conhecer.
Eu fiquei hospedada no Cafofo Hostel:  por R$ 50,00 a diária. O atendimento é bom, pessoas simpáticas mas ele é bem simples, muito mesmo. Eu sei que geralmente hostels são simples mas esse era mais simples que os hostels que conheci em Floripa e pelo site esperava algo mais.O Cafofo fica em Botafogo, uma boa localização, dali peguei ônibus, metrô e andei de boa pelas ruas. 
Agora vamos á cidade, eu marquei de encontrar uma amiga que saiu do interior de São Paulo pra me encontrar no Hostel, voei de Curitiba, onde moro, pra lá. Quando o avião sobrevoou o Rio De Janeiro antes de pousar em Santos Dumont eu fiquei maravilhada com a beleza da cidade, é realmente impactante. Não é só o mar, é o clima, o jeito dos cariocas despreocupados com a vida levando "numa boa". Como sou do interior e vivo na tal Capital Social a minha maior preocupação era a violência, por tudo que a mídia mostra eu esperava uma cidade tensa, muitos policiais, pessoas altamente suspeitas mas não vi nada disso.
Entrei no táxi e tentei não parecer turista pra não ser passada pra trás por nenhum carioca esperto (mais uma vez um preconceito que diz que todo carioca é malandro), disse pro motorista o endereço do Hostel e ele não sabia que rua era aquela, então respondi: Mas você não é carioca, pô? Eu sou. 
E ele respondeu: Carioca que fala pô é difícil, hein, mano. Tu é paulista.
Apesar de morar em Curitiba eu fui criada no Estado de São Paulo e ainda não perdi, nem quero perder, o meu sotaque paulista, ele me pegou no pulo.
Bom, dai pra frente foi super legal, peguei dicas de lugares com o taxista e ele foi super gente boa. Elogiei a cidade dele e ele disse que não era dele, era nossa.

Lapa
Deixando as malas no hostel já as 18h era hora de apreciar o primeiro local do roteiro: Lapa!
Vários barzinho com muita gente, muita mesmo e pessoas descoladas, outras mais arrumadas, sem grilo e sem preocupação, só curtindo. Fui ao Rioscenarium - uma mistura de bar, boteco, sampa, tango, enfim, um lugar muito legal que recomendo muito. O preço é um pouco salgado, gastei R$90,00 e nem bebo tanto assim, só a entrada era mais ou menos R$30,00 mas a diversão é garantida.

Leblon
Sábado foi dia de praia: Ipanema e Leblon, uma do ladinho da outra e dá pra ir de busão, o transporte público no Rio de Janeiro me pareceu muito bom, atendeu muito bem minhas necessidades. A praia de Ipanema é linda demais, uma beleza diferente, praia limpa mas neste dia a água estava gelada, afinal não estava tão quente assim (pena!).

Ipanema
Almocei no Leblon onde tem a rua  Dias Ferreira, super famosa e com muitas opções. Na sequencia decidimos conhecer o Corcovado, que infelizmente me decepcionou. Apesar do impacto que o Cristo causa (olhar pra ele me fazia sentir abençoada instantaneamente) a visita exige muita paciência. O trem que leva até o Cristo, apesar de sair de 20 em 20 min estava cheio (soube que geralmente é assim) e esperamos por 2h30 pela nossa vez, chegando lá em cima não é possível tirar uma foto decente com o Cristo, pois tem pelo menos umas 50 pessoas de braços abertos com você na foto. Aconselho quem resolver viver essa aventura que escolha um dia quente e vá de manhã, eu cheguei lá as 14h em um dia com ventos que fizeram ser insuportável ficar lá em cima por muito tempo por causa do frio. O preço está no site.

Dica importante: Os taxistas costumam "esquecer" de ligar o taxímetro, vários tentaram fazer isso mas como já tinha lido sobre isso eu usava o jeitinho para lembra-los com um: Aqui não precisa ligar o taxímetro? É bom ficar de olho nisso, uma corrida do Leblon ao Corcovado com o primeiro taxista com quem falamos saia por R$ 30,00 e com o segundo por R$17,00, acho que não preciso de mais argumentos que isso.
Rioscenarium
Sábado a noite jantamos pizza no Carioca da Gema (famoso) que tem a parte de barzinho com música e pizzaria.A pizza era deliciosa, fina e leve mas o atendimento foi bem ruim, não voltaria lá.
Após o jantar ficamos bebendo em uma mesa na calçada e apreciando a diversidade de pessoas e o clima gostoso.

Domingo estava frio e com grande possibilidade de chuva, por isso aproveitamos para conhecer Copacabana que tem aquele ar de novela da Globo. Em Copacabana é bom ficar mais esperto, pois como sempre tem muito turista ali também tem muito furto.

Foram 2 dias e meio e deixei 3 passeios bacanas de fora por falta de tempo: Pão de Açucar (subindo de trem no Corcovado lembrei que tenho medo de atura, portanto acredito que não vou entrar no bondinho de jeito nenhum), ver o pôr do sol no Arpoador (perdi muito tempo no Corcovado e não deu tempo mas está entre minhas prioridades na próxima viagem) e Santa Tereza onde tem a escadaria e ótimos restaurantes.

Segundo um taxista com quem conversei (eles dão muitas dicas valiosas) eu não vi o perigo pois a zona Sul e Zona Norte são tranquilas, mas isso é em qualquer cidades, todo lugar tem aqueles bairros mais perigosos, onde não é aconselhável ir. Ficar falando no celular na rua nem pensar mas isso também não é só lá, se for tirar foto, fique atento, se não der bandeira provavelmente vai voltar intacto. 

Adorei o Rio de Janeiro e o astral que a cidade tem, vi outras coisas além das belezas naturais como pessoas cantando enquanto dirigiam,  de bem com a vida, muita gente fazendo atividades físicas ao ar livre, todos vivendo muito a cidade.

Tem uma crônica que vale a pena ler e diz muito sobre o Rio de Janeiro, posso dizer que é tudo isso mesmo: "Se você não gosta do Rio de Janeiro, fique longe dele. É a única maneira de manter sua opinião." 

Abraços, mermão."

E então eu parei o carro, puxei o freio de mão e pensei: “Cheguei em casa”.
Faz 1 ano. Desembarquei com esposa, cachorro e umas malas. A mudança veio no dia seguinte.  Levei 33 anos imaginando “como seria”, e agora tenho 1 pra contar “como foi”.
O Rio de Janeiro é a minha Paris. Eu não sonho com a tal de torre, nem me importo com o Louvre e nem acho do cacete tomar café naquela tal de Champs-Élysées. Eu acho charmoso ir a praia de Copacabana, tomar cerveja de chinelo no leblon e ir a um samba numa grande escola.
Sou paulista, nunca tive rivalidade bairrista em casa. Nunca me ensinaram a odiar o estado vizinho, ao contrário, sempre me foi dada a idéia de que estando no Brasil, estou em casa.
Ouvi mil mentiras e outras mil verdades sobre o Rio enquanto morei em São Paulo. Todas justas no final das contas.
Carioca exagera tudo, pra baixo e pra cima. Se elogiar a praia, ele exalta dizendo que é “a melhor praia do mundo”. Se falar que é perigoso, ele não nega. Diz que é “perigoso pra caralho”.
Trata sua cidade como filho. Só ele pode falar mal.
Cariocas não marcam encontro. Simplesmente se encontram.
A confirmação de um convite aqui não quer dizer nada. Você sugere “Vamos?”, eles dizem “Vamo!”. O que não implica em ter aceitado a sugestão.
Hora marcada no Rio é “por volta de”. Domingo é domingo. E relaxa, irmão. Pra que a pressa?
Em 5 minutos são amigos de infância, no segundo encontro te abraçam e já te colocam apelidos.
Não te levam pra casa. Te convidam pra rua. É curioso. Mas é que a “rua” aqui é tão linda que se trancar em casa é desperdício.
Cariocas andam de chinelo e não se julgam por isso.  São livres, desprovidos de qualquer senso de sofisticação.
Ao contrário, parecem se sentir mal num ambiente formal e de algum requinte.
“Porra” é um termo que abre toda e qualquer frase na cidade. Ainda vou a uma Igreja conferir, mas desconfio que até missa comece com “Porra, Pai nosso que estais…”.
Cariocas são pouco competitivos. Eu acho isso maravilhoso, afinal, venho da terra mais competitiva do país. E confesso: competir o tempo todo cansa.
Acho graça quando eles defendem o clube rival pelo mero orgulho de dizer que “o futebol do Rio” vai bem. Eles nem notam, mas as vezes se protegem.
Eles amam essa porra. É impressionante.
Carioca é o povo mais brasileiro que há, mas que é tão orgulhoso do que é que nem parece brasileiro.
Tem um sorriso gostoso, um ar arrogante de quem “se garante”.
Papudos, malandros, invocados. Faaaaalam pra cacete. E sabem que estão exagerando.
Eles acham que sabem  o que é frio. Imagine, fazem fondue com 20 graus!
A Barra é longe. Buzios, logo ali!
Niterói é um pedaço do Rio que eles não contam pra turista. Só eles aproveitam.
Nilópolis é longe. Bangu também.
Madureira é um bairro gostoso. O Leblon, vale os 22 mil por metro quadrado sugeridos pelos corretores.
Aliás, corretores no Rio são bem irritantes.
Carioca, num geral, acha que está te fazendo um favor mesmo se estiver trabalhando. É tudo absolutamente pessoal, informal.
Se ele gostar de você, te atende bem. Se não, não.
Tá com pressa? Vai se irritar. Eles não tem pressa pra nada.
Sabe aquela garota gostosa que sabe que é gostosa? Cariocas sabem onde moram.
O bairrismo deles é único.  Nem separatista, nem coitadinho. Apenas orgulhoso.  Ao invés de odiar um estado vizinho, o sacaneiam e se matam de rir de quem se ofende.
Cariocas tem vocação pra ser feliz.
São tradicionais, não gostam que o mundo evolua. Um novo prédio no lugar daquele casarão antigo não é visto como progresso, mas sim com saudades.
São folgados. Juram ser o povo mais sortudo do mundo.
E quem vai dizer que não?
No Rio você vira até mais religioso.  Aquele Cristo te olha  todo santo dia, de braços abertos. Não dá! Você começa a gostar do cara…
E aí vem a sexta-feira e o dom de mudar o ambiente sem mexer em nada.  O Rio que trabalha vira uma cidade de férias. As roupas somem, aparecem os sorrisos a toa, o sol, o futebol, o samba, o Rio.
Já ouvi um cara me dizer um dia que o “Rio é uma mentira bem contada pela mídia”.  Ele era paulista, odiava o Rio, jamais tinha vindo até aqui.
E é um cara esperto. Se você não gosta do Rio de Janeiro, fique longe dele.
É a única maneira de manter sua opinião.
Em quase toda grande cidade que vou noto uma força extrema para fazer o turista se sentir em casa. Um italiano em São Paulo está na Itália dependendo de onde for. Um japones, idem. Um argentino vai a restaurantes e ambientes argentinos em qualquer grande cidade.
No Rio de Janeiro ninguém te dá o que você já tem.  Aqui, ou você vira “carioca”, ou vai perder muito tempo procurando um pedaço da sua terra por aqui.
Não é verdade que são preconceituosos. É preciso entender que o carioca não se diz carioca por nascer aqui. Carioca é um perfil.
Renato, o gaúcho, é um dos caras mais cariocas do mundo.
Tem todo um ritual, um jeitinho de se aproximar.
Chame o garçom pelo nome, os colegas de “irmão”. Sorria, abrace quando encontrar. Aceite o convite, mesmo que você não vá.
Faça planos para amanhã, esqueça-os 10 minutos depois. Faça amigos, o máximo de amigos que conseguir.
Quanto mais amigos, mais cerveja, mais risadas, mais churrascos, mais carioca você fica.
E quanto mais carioca você é, mais você ama o Rio. Como eles.
Gosto deles. Gosto de olhar pra frente e não ver onde acaba.  Gosto de sol, de abraço, de rir muito alto e de não me achar um merda por estar sem grana.
Gosto de como eles se viram. Gosto da simplicidade e da informalidade que os aproxima do amadorismo.
A vida não tem que ser profissional.
Tem que ser gostosa.
E de gostosa, convenhamos, o Rio tá cheio.
Ops! Desculpa, amor! Escapou.
abs, merrrrmão!


(O Shopping não me pagou nada. Nem sei onde fica. A propaganda é que diz muito do que quero dizer e não sei como)